Publicações

Manual de Arbitragem - 2014-2016 - Versão 2.0

Issue link: http://rdweb.uberflip.com/i/654423

Contents of this Issue

Navigation

Page 31 of 55

Notas: 30 h) Quando um competidor executar ou tentar executar Kansetsu-waza ou Shime-waza a partir da posição vertical e o resultado não for suficientemente claro. I) Quando um dos competidores começar ou realizar todos os movimentos preparatórios para uma técnica de combate ou luta (o que não for judô de fato), o Árbitro deverá anunciar imediatamente Mate, tentando parar e não deixar o competidor terminar a ação; j) Quando em qualquer outro caso que o Árbitro considerar necessário fazê-lo. 3) Situações em que o árbitro não deverá anunciar Mate: a) O Árbitro não deverá anunciar Mate a fim de parar o competidor (s) ir fora da área de combate, a menos que a situação seja considerada perigosa; b) O árbitro não deverá anunciar Mate quando um competidor, que escapou da Ossaekomi-waza, Shime-waza ou Kansetsu-waza, precisar ou pedir um descanso. 4) Situações excepcionais a) Se o árbitro anunciar Mate por engano durante o Newaza e os competidores precisarem se separar, o Árbitro poderá, se possível e de acordo com a "maioria de três", pedir aos competidores retomarem a posição mais próxima da original e recomeçarem o combate; ao fazê-lo corrigirá uma injustiça feita a um dos competidores. ARTIGO 18 - Sono-mama 1) Em todos os casos nos quais o Árbitro desejar parar temporariamente a luta sem causar uma mudança nas posições deles, ele deverá anunciar Sono-mama, fazendo o gesto conforme o Artigo 8.9 e devendo garantir que não há mudança na posição ou técnica dos competidores. 2) Sono-mama só poderá ser aplicado em situações nas quais os competidores trabalharem Ne-waza. 3) As situações: a) Atribuir uma penalização: Se o competidor que for penalizado estiver em posição desfavorável, não há Sono-mama: a pena é atribuída diretamente;

Articles in this issue

view archives of Publicações - Manual de Arbitragem - 2014-2016 - Versão 2.0